RELACIONADOS



categorias

19 de maio de 2016

Da série: amiga, obrigada (#2)

By Tumblr.

 - Lembra de quando eu o vi pela primeira vez, na cidade, e eu sussurrei pra você que ele ainda seria meu?
- SIIMMM! A gente tinha bebido horrores naquele dia.
Ela jogou a cabeça pra trás, rindo e imitou a voz de bêbada louca daquele dia:
- Você ainda não sabe, mas você é todo meu, seu gostooosoo!
Acompanhei a risada alta dela.
- Mas, sabe, alguma parte de mim sempre soube que ia acontecer. Foi demais, sabe. Quando ficamos eu me apaixonei, instantaneamente. O toque, o sorriso, os lábios, o jeitão e até aquele ar narcisista... no fim da noite, eu sabia que estava ferrada.
- Porque chegou tarde em casa e levou bronca de todo mundo. – Ri, lembrando dela me contando como a coisa toda aconteceu e  que não iria na minha festa por causa do episódio.
- Também. – Ela respondeu, rindo, mas quebrou o sorriso ao continuar: Eu sabia que tava ferrada porque ele era o tipo perfeito pra foder comigo. Jurei pra mim mesma que me manteria longe, porque ele cheirava a problema, muito doce, mas ainda assim um problema.
Ela deitou a cabeça no meu colo, acariciei seu cabelo úmido, enquanto ela contava estrelas, mas parou, pouco depois, como se vislumbrasse tudo ali diante dela.
- Não quero falar mais. – Ela disse e a luz das estrelas refletiam as lágrimas em seus olhos castanhos.
Droga, eu quero tanto que ela diga que vai ficar tudo bem, eu não sei lidar com isso, o cais sempre foi ela, e estou cansada de vê-la em tantos pedacinhos, isso tá me deixando quebrada.
- Se vamos ficar aqui por mais tempo, preciso de vinho.
- Concordo. E cigarros também.
Nos levantamos e fomos pisando firme, na mesma intensidade da alma, até chegarmos ao bar.

(...)