RELACIONADOS



categorias

16 de junho de 2016

#CaroSenhorDisney

By reproduction.

Eu quero te agradecer por ter feito parte da minha infância, e por continuar comigo até os dias de hoje, quero agradecer por ter me feito essa garota que sempre acredita que tudo vai dar certo, porque sempre deu com todas as princesas, elas sempre tiveram um final feliz e por isso eu acreditava (e acredito) que vou ter o meu, e tenho.

Eu tenho porque, pra mim, todo dia é o fim do livro, e todo dia eu me esforço o suficiente pra que esteja tudo bem, e olhe que eu nem preciso de nenhum príncipe num cavalo branco pra me salvar, eu me recomponho todos os dias, eu me olho no espelho no fim do dia e agradeço por estar comigo mesma, por ser minha melhor companhia, mesmo sendo torta e errada como sou.

Pra falar a verdade, eu tenho vários príncipes ao meu redor, vários caras que são bons e tentam ficar comigo, só que eu sou tão boa sozinha que eu me recuso a ficar com algum deles. Quer dizer, eu até tento, mas tem uma parte de mim que gosta de não pertencer, de estar sempre livre, acho que é por isso que eles estão sempre perto: eu sou livre demais e eles acham que eu preciso me agarrar em algo, me prender em algo, só que essa é uma tentativa falha e abstrata, e quando eu casar, só aceitarei se for pra casar liberdades.

Porque eu tenho uma alma livre, entende, mas, ao mesmo tempo, minha alma canta como uma sereia, na necessidade de ser admirada, desejada, amada, só pra depois ir embora. Não sei se vou sempre ser assim, ou se algum dia as ondas do meu coração vão aquietar e deixar-se esquentar no sol de alguém. 

Mas, por enquanto eu sou livre, estou perdida nas ondas do meu coração, dos meus cabelos, das minhas mãos, do meu sorriso, dos meus caminhos, estou perdida nesse imenso mar de letras, palavras, sorrisos, amores... estou nesse mar de mim mesma, e isso é o suficiente.

Eu também sou uma princesa: conto de fadas moderno, corações quebrados, jeans, tênis, camisa rasgada, larga, cabelo free, e eu tenho um final feliz todos os dias, porque eu continuo tentando.

Leia os outros posts do Projeto 16 on 16 aqui.